quinta-feira, 3 de novembro de 2016

A experiência passada

É normal nos depararmos com situações que aparentam já ter acontecido, mas quando nos damos conta, é a primeira vez que passamos por algo assim nesse plano, porém, já temos todas as lembranças de ter feito isso ou já estamos preparados para isso.

Também é comum ter a sensação de que houve uma grande mudança em sua volta, como se algum prédio tivesse saído do lugar, ou até mesmo como se um dia anterior parece estar há semanas de distância.

Muitos tem dons que são inexplicáveis, ao tocar um instrumento pela primeira vez, ao praticar um esporte pela primeira vez, são coisas que acontecem com a maioria das pessoas que param para notar, coisas que não tem uma explicação muito fácil e que nós chamamos de pequenas coincidências.

É muito difícil desenhar um raciocínio lógico do porque dessas coisas, como posso ter lembranças de um lugar que nunca visitei, como posso saber coisas das quais nunca me contaram, como posso estar preparados para situações que nunca experimentei? O curioso disso é que nossa mente só guarda informações do que já presenciamos, podemos modificar o que conhecemos, mas temos que ter uma base de conhecimento, por exemplo, conseguimos imaginar uma laranja azul, visto que conhecemos a laranja em sua forma original e também conhecemos a cor azul, ai é só usar a forma da imaginação para a mágica acontecer. Esse simples detalhe não se encaixa quando temos a sensação de já ter visto algum lugar ou pessoa, mesmo que a gente tenha certeza de que não tenha acontecido nessa vida, também há situações em que os sonhos se mostram dessa forma, você começa a ver um sonho por fora dos espectadores, como se tivesse uma câmera que seus olhos estivessem ligados diretamente, vendo todas as situações e talvez participando de algumas poucas sensações.

Pensando em tudo isso, será que é possível afirmar que já tenhamos passado por experiências antes de existirmos nesse plano? Uma outra vida, algo que vem de um lugar distante, ou de um passado distante, talvez até, de um futuro distante... Ok, o futuro distante é algo bem mais complicado para falar agora, vamos deixar apenas no passado...

Um bebê quando nasce, tem a consciência de que precisa chorar para ter a atenção dos pais, também por "instinto" já sabe como mamar e fazer necessidades, sem que ninguém tenha ensinado a ele a fazer o mesmo, outras pessoas descobrem habilidades que estavam ocultas, como se fosse algo que você já teria feito anteriormente e só descobriu depois de começar a fazer e viu que era muito bom nisso...

Como explicar essa situação? É bastante complicado assumir que tudo isso são apenas coincidências e que não haja um certo plano diferente de onde podermos ter vindo, mas existe um outro problema, não muito difícil de entender, mas pode invadir sua mente. Se viemos de um outro lugar, porque não temos lembrança de nada? Para responder isso, é só tentarmos lembrar com detalhe algo que tenhamos feito com a idade de 2 ou 3 anos, algo praticamente impossível, já que nossa memória começa a gravar "para sempre" atividades que fizermos depois dos 5 anos de idade, ou seja, se viemos de algum lugar e nos lembramos, certamente nesses 5 anos caminhando por esse plano nós simplesmente podemos esquecer, lembrando apenas alguns detalhes que serão a base dos seus sonhos mais inusitados.

Agora, pensando em que uma criança até os seus 5 anos possa ter memória do mundo que tenha vindo anteriormente, você já parou para ouvir uma criança falar? Já viu o mundo de "fantasias" que paira sobre suas cabeças? Talvez uma criança no começo de sua grande jornada de vida possa ensinar mais do que muitas pessoas completando seu ciclo, mas para isso, basta apenas ouvir, o universo está sempre falando conosco de alguma forma, através de muitas coisas, principalmente elementos da natureza.

Deixo esse pensamento distante registrado para uma futura meditação sobre esse assunto.
 

Nenhum comentário: